Agosto 8

As cidades mais visitadas da África em 2016 | Leste e sul

Por Nathalia Marangoni em
Agosto 8, 2017

As cidades a seguir constam no último Mastercard Global Destinations Cities Index, relatório divulgado pela Mastercard que lista as cidades mais visitadas no mundo e oferece uma compreensão mais profunda sobre como as pessoas viajam e gastam seu dinheiro ao redor do mundo, impulsionando o crescimento econômico dos países que visitam.

Na África, seis das cidades mais visitadas estão situadas no leste e sul, regiões onde a Rhino Africa desenvolve boa parte de suas viagens sob medida. Confira neste post por que essas cidades atraem tantos visitantes e entre em contato com nossos consultores de viagem para conhecê-las mais de perto.

Joanesburgo, África do Sul (#1)

Foto: Andrew Moore

Uma verdadeira selva de concreto na África do Sul, Joanesburgo é uma mistura de cor e comoção. Apelidada de “Cidade do Ouro” por seu passado como meca da mineração, Joanesburgo é o centro econômico do país e um modelo exemplar de modernidade. Além de possuir a mais importante Bolsa de Valores africana, a cidade é lar do maior shopping center (Sandton City) e o mais rico metro quadrado (Sandton) do continente. Joburg, como é conhecida pelos habitantes locais, é, sem dúvida, um destino chave na África.

Cape Town, África do Sul (#2)

Cape Town é um vibrante caldeirão de cor, criatividade e culinária. Com a sua eterna Table Mountain, praias de areia branca, vinhedos generosos e um movimentado estilo de vida, não é difícil ver por que a Cidade Mãe está classificada entre as cidades mais bonitas do mundo, além de ter sido apontada como um verdadeiro destino gastronômico. Com o Zeitz Museum of Contemporary Art Africa (MOCAA) a ser inaugurado em setembro de 2017, a cidade não mostra sinais de desaceleração.

Durban, África do Sul (#6)

Durban é o autoproclamado playground da África do Sul e abriga o maior porto da África. Agraciado por temperaturas quentes durante todo o ano, suas praias solares e águas temperadas encorajam os visitantes a aproveitarem o estilo de vida ao ar livre de KwaZulu-Natal. A cultura diversificada da cidade se reflete em sua gastronomia, arquitetura e mercados.

Entebbe, Uganda (#10)

Entebbe é a porta de entrada para tudo que Ugante tem a oferecer: da Bwindi Impenetrable Forest e seus gorilas às montanhas Rwenzori. Embora não seja a capital, esta pitoresca e moderna cidade abriga o aeroporto internacional do país e está situada próxima às margens do maior lago africano, o Lago Victoria. O aeroporto internacional de Entebbe conecta viajantes vindos de destinos como Joanesburgo e alguns bastante distantes como Bruxelas e Dubai.

Foto: Ninara

Nairobi, Quênia (#10)

Como hub do transporte do Quênia, os aeroportos, estradas, trens e estações de ônibus de Nairobi são responsáveis por transportar viajantes para as águas-marinhas do litoral, o Great Rift Valley, as savanas abertas do Maasai Mara ou para as paisagens verdejantes no planalto central do país. Não apenas isto, Nairobi é o centro financeiro, econômico e cultural do país, com uma grande oferta de museus e galerias de arte.

Foto: José Carlos Babo

Maputo, Moçambique (#12)

Os edifícios de estilo mediterrâneo que se erguem em blocos de apartamentos ao longo de avenidas arborizadas e chanfradas em ruas estreitas na capital de Moçambique e sua estação ferroviária são considerados uns dos mais belos do mundo. O mercado municipal de Maputo é um centro de caos e diversidade- com fileiras de vendedores, mesas empilhadas com tudo que se pode imaginar, desde frutos do mar frescos até especiarias, enquanto a arquitetura portuguesa de muitos dos edifícios adiciona um toque de nostalgia à cidade. Muitos viajantes passam por aqui, a caminho das praias de Inhambane ou das ilhas que salpicam o arquipélago do Bazaruto.


Tags


você pode gostar

Sobre o autor

Nathalia Marangoni

Nascida e criada na cidade mais populosa da América Latina, São Paulo, Nathalia tinha 13 anos quando ouviu pela primeira sobre Cape Town em um programa de TV. Depois de estudar Jornalismo, ela trabalhou por alguns anos em uma ONG dedicada ao empoderamento e empreendedorismo feminino, o que lhe permitiu viajar por diferentes regiões do Brasil, entrevistando e fotografando mulheres muito fortes. A experiência levou Nathalia a se sentir confiante o suficiente para se mudar de sua cidade natal e, finalmente, ver Cape Town com seus próprios olhos: um desejo antigo que dividiu águas em sua vida.

{"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
>