por Nathalia Marangoni em 23 Novembro, 2017
9 min read

A Tanzânia é um destino de excessos — abriga a maior caldeira intacta do mundo (cratera de Ngorongoro), a maior montanha (Monte Kilimanjaro), o mais profundo lago (Tanganyika) e a maior reserva de animais (Selous) de todo o continente africano, além de ser, junto com o Quênia, palco da Grande Migração dos Gnus, um dos fenômenos mais espectaculares da natureza. Conheça alguns dos principais destinos de safári na região – especialmente na abundante região norte do país – e comece a planejar uma viagem por algumas das paisagens mais emblemáticas da África!

Parque Nacional Serengeti

A Grande Migração dos Gnus, Tanzânia

Todos os anos, 1,5 milhões de gnus, acompanhados por quantidades razoáveis de gazelas e zebras, fogem da estação de seca que invade a região sul do Serengeti em direção ao Maasai Mara, no Quênia, à procura de pastos mais verdejantes. A saga termina novamente no Serengeti, formando um grande círculo que atrai turistas de todo o mundo e veículos de comunicação como BBC, National Geographic e Animal Channel.

Zebras e gnus iniciam travessia de rio, Tanzânia

Ainda que a migração seja o carro-chefe do Serengeti, recebendo a alcunha de “a Copa do Mundo da vida selvagem”, especialmente pelas grandes provações vivenciadas por estes animais — que devem sobreviver aos ataques de grandes predadores, como leões e crocodilos, e lutar contra a própria ansiedade, desespero, fome, exaustão e sede ao atravessar rios e percursos desafiadores — acredite se quiser, o Serengeti tem muitas outras atrações a oferecer.

Serengeti Camp, acomodação no Serengeti National Park, Tanzânia

Um exemplo disto é que mais de meio milhão de gnus nascem durante os meses de janeiro e março, o que atrai muita ação para os aficionados do show da natureza: estes nascimentos são um excelente banquete para hienas, chacais e grandes felinos que habitam região, extremamente diversa e composta por planícies intermináveis (aliás, este é o significado da palavra serengeti, que vem da língua Maasai), afloramentos rochosos, rios, vulcões e florestas  — cenários ideais para uma aventura para a vida toda.

Destaques

  • Um dos palcos da Grande Migração dos Gnus, Património Mundial da Humanidade;
  • Oferece excelentes opções de acomodação de luxo. Visite nosso site para conheçar as principais;
  • Diferentes tipos de atividades, entre elas, safári em balão de ar quente, visitas às comunidades Maasai e exploração de locais paleoantropológicos como o Oldupai Gorge.

Parque Nacional do Lago Manyara 

Ainda que pequeno comparado ao Serengeti, Lake Manyara National Park é um excelente local para a contemplação de animais e tem suas próprias peculiaridades que podem torná-lo muito especial.

Entusiastas de pássaros poderão avistar mais de 400 espécies, bem como girafas, hipopótamos, búfalos, zebras e… elefantes, muitos elefantes! A vida selvagem — e abundância dos gentis paquidermes — do parque foi retratada com eloquência pelo zoologista Iain Douglas- Hamilton no livro “Among the Elephants”, lançado em 1978.

O lago Manyara, que pode cobrir até 60 por cento da área total do parque durante estações chuvosas, é o carro-chefe do local, atraindo uma grande variedade de pássaros aquáticos, entre eles, pelicanos e flamingos, cuja coloração rosa torna o lago ainda mais cênico, contribuindo para excelentes oportunidades de fotografia.

Leão em árvore no Parque Manyara

Manyara é conhecido por leões que escalam árvores, no entanto, este fenômeno não é exclusivo do parque e nem sempre é fácil vê-los

Além das aves aquáticas, o parque costuma ser referenciado como o lugar ideal para ver leões escalarem árvores, no entanto, é important frisar que não há garantia de que isso possa acontecer durante um safári e este não é o único parque onde o “fenômeno” acontece.

Destaques

  • Situado no caminho para o Ngorongoro e Serengeti;
  • Grande população de elefantes, mais de 400 espécies de aves, leões que ocasionalmente sobem árvores;
  • Maior concentração de babuínos em qualquer lugar do mundo.

Área de conservação de Ngorongoro

Pôr do sol na cratera de Ngorongoro

Pôr do sol na Cratera de Ngorongoro

Encostas, pastagens, pântanos, zona ribeirinhas e floresta compõem a área de conservação Ngorongoro. Cobrindo mais de 8,280 quilômetros quadrado, a área abriga a maior caldeira intacta do mundo: com seus 600 metros de profundidade e área de 260 quilômetros quadrados, a Cratera de Ngorongoro é o que restou de um grande vulcão que entrou em erupção há 2,5 milhões de anos, fazendo da região uma área bastante cênica e única.

Leoa e zebras na Cratera de Ngorongoro - Wikimedia Commons

Leoa e zebras na Cratera de Ngorongoro

A vida selvagem da região é tão diversa quanto seus ecossistemas, transformando safáris em experiência etéreas: povoam a área entre 25,000 e 30,000 mamíferos de grande porte. Entre espécies populares animais estão zebras, gazelas, búfalo, javalis, hipopótamos, elefantes e os raros rinocerontes-negros. Como se não fosse suficiente, a cratera abriga a maior concentração de animais predatórios da África – leões, chitas, hienas, jacais e leopardos estão entre eles.

Dança “adumu”, costume da tribo Maasai, Tanzânia - Wikimedia Commons

Dança “adumu”, costume da tribo Maasai, Tanzânia

O icônico povo Maasai vive nesta região e em outras partes do norte da Tanzânia e em toda a fronteira com o Quênia. Seu estilo de vida seminômade é centrado na administração de rebanhos de gado, ovelhas e cabras e, por isto, se movem com os animais em busca de água e grama. Visitas a estas comunidades são promovidas no local, como uma forma de apoiar suas atividades e conhecer de perto sua cultura e costumes.

Destaques

  • Uma multidão de atrações: das crateras de Ngorongoro, Empakai e Olmoti ao Lago Ndutu e o desfiladeiro de Oldupai
  • Uma ampla variedade de animais pode ser visto ao longo da cratera e do Lago Ndutu
  • O desfiladeiro de Oldupai é uma área fascinante que contém evidências de habitação dos primeiros hominins
  • Está a um pouco mais de 2 horas de carro do aeroporto mais próximo, em Arusha. Ngorongoro é facilmente acessível e uma grata adição àquele que visitam o Serengeti National Park e o Mount Kilimanjaro National Park

Parque Nacional Tarangire

Árvore baobá, Tarangire

Injustamente subestimado entre os demais parques no circuito norte de safáris da Tanzânia, mas altamente recomendado: este é o Tarangire National Park. Conhecido como a Terra de Gigantes por sua densidade de árvores baobás e alta população de elefantes, o parque esbanja um imã de vida selvagem especial, o rio Tarangire, que entre julho e novembro, atrai diversas espécies de herbívoros de pastejo. Além disso, abriga predadores como leões e leopardos e é uma verdadeira meca para observadores de pássaros, com mais de 550 espécies registradas.

Elefantes, Tarangire

Por estar próximo a Ngorongoro e Serengeti, Tarangire acaba atraindo menos turistas, revelando-se uma boa adição a um itinerário de safári mais extenso e ideal para viajantes que procuram uma experiência de imersão na natureza ainda mais privativa. A apenas 100 km de Arusha, o parque nacional está situado no Central Rift Valley, uma área semi-árida ainda habitada por comunidades pastoris tradicionais, como os Maasai os Barabaig e outros subgrupos da etnia Datoga.

Zebras, Tarangire

Ainda que muitos turistas confinem sua experiência no parque à região norte – nas proximidades do rio – há muito o que explorar no sul, em suas planícies de inundação que atraem diversos animais migratórios e aves. Além de safáris com zebras, girafas, búfalos, rinocerontes e uma variedade de espécies de antílope, diversas atrações nos arredores do parque guardam tesouros pouco conhecidos.

Girafas, Tarangire

O Monte Hanang, por exemplo, é um vulcão isolado que se ergue do solo do Rift Valley, a uma altitude impressionante de 3,417 m. Há ainda o reduto de hipopótamos Lago Babati ao oeste do Tarangire e, ao norte, o Kondoa Rock Art Sites, com artes rupestres pré-históricas em abrigos sob rocha, uma verdadeira galeria de arte ao alfresco considerada um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Destaques

  • Lar de mais de 550 espécies de pássaros – uma verdadeira meca para observadores de pássaros
  • Durante os meses secos do verão, animais se aglomeram ao redor do rio Tarangire, proporcionando excelentes vistas
  • Um destino a ser visitado durantetodo o ano graças aos seus “residentes” permanentes, como rebanhos de elefantes
  • A acessibilidade entre o parque e destinos como Arusha, Serengeti e Ngorongoro o tornam uma excelente adição ao seu itinerário na Tanzânia

Parque Nacional Arusha

Girafas, Parque Nacional Arusha

A apenas 45 minutos da cidade de Arusha, está o parque nacional mais acessível do norte da Tanzânia, o Arusha National Park. Como aponta Phillip Briggs no livro “Northern Tanzania”, ainda que ofereça opções limitadas para o avistamento dos Big 5, trata-se de uma impressionante área de conservação, esbanjando grande diversidade de habitats – entre florestas montanas, savanas úmidas e charnecas alpinas, sua fauna inclui cerca de 400 espécies de aves e espécies incomuns de mamíferos.

Mount Meru, Tanzânia

Uma das marcas registradas da região é o Mount Meru, uma das maiores montanhas do continente e excelente destino para os que gostam de trilhas e escaladas. Na região da montanha, é possível ver girafas, búfalos e, se você tiver sorte, leopardos. Uma variedade de lagos alcalinos, uma cratera vulcânica extinta e vistas incríveis do Kilimanjaro – em dias claros – tornam o Arusha National Park uma ótima opção para um viagem de um dia.

Flamingos, Parque Nacional Arusha

Ainda que o parque seja relativamente pequeno (552 quilômetros quadrados), ele esbanja uma impressionante diversidade de vida selvagem: hipopótamos, zebras e diferentes espécies de antílopes, macacos e a maior população de girafas de todo o mundo são destaques. Além de safáris em veículo 4×4, são organizados safáris a pé e em canoas.

Destaques

  • Abriga a segunda maior montanha da Tanzânia: Mount Meru
  • É lar de espécies de primatas inusitadas, como o colobus
  • É lar do mais elusivo membro dos Big 5, o leopardo, que pode ser avistado ao amanhecer e no final da tarde
  • Extremamente acessível: a menos de uma hora da cidade de Arusha e cerca de 60 km do aeroporto internacional Kilimanjaro
  • Abriga a cratera Ngurdoto, habitada por búfalos e javalis

Como você pode perceber, o norte da Tanzânia abriga redutos de safári únicos e com carros-chefe impressionantes, como a Grande Migração, montanhas e crateras. Caso esteja planejando visitar esse destino, entre em contato com nossos consultores de viagem e deixe-nos auxiliá-lo a criar a viagem dos seus sonhos.