Junho 14

8 motivos para saltar de bungee jump na África do Sul

Por Nathalia Marangoni em
Junho 14, 2017

Saltar de bungee jump na África do Sul, mais precisamente na Bloukrans Bridge, é uma aventura quase obrigatória para aficionados em adrenalina. A Bloukrans é uma ponte situada perto de Nature’s Valley, em Tsitsikamma, na província do Cabo Oriental.

Foi construída entre os anos de 1980 e 1983, a 216 metros de altura do pacífico rio Bloukrans. No entanto, o rio pode não parecer tão tranquilo aos olhos dos corajosos viajantes que estão a poucos segundos de pular da ponte, hoje considerada a mais alta ponte comercial dedicada à prática de bungee jump de todo o mundo (216 metros!).

Gerenciada pela empresa Face Adrenalin, o Bloukrans Bungy é uma ótima pedida para os que passam pelo Garden Route e desejam ter uma experiência para a vida toda. Tanto aventureiros quanto os viajantes mais pacatos podem vivenciar algo mágico no lugar.

Descubra por que saltar de bungee jump da Bloukrans Bridge pode ser uma ótima inclusão ao seu itinerário na África do Sul, além de ser uma excelente forma de desafiar seus limites e crenças sobre você mesmo.

1. Uma aventura global para o seu currículo

Bungee jump na África do Sul — Face Adrenalin
Foto: Nathalia Marangoni

Já foi dito ateriormente, mas vale a pena repetir: saltar da Bloukrans Bridge significa, simplesmente, saltar da maior ponte comercial dedicada à prática de bungee jump do mundo. DO MUNDO! O título era antes reservado à ponte de Victoria Falls (111 metros de altura), na fronteira entre a Zâmbia e o Zimbábue. Em meio a uma paisagem de calmaria e leveza, você vai sentir uma montanha-russa de emoções que provavelmente nunca sentiu na vida…

2. Não pense, apenas pule

Bloukrans Bridge — bungee jump na África do Sul
Foto: Nathalia Marangoni

Se você tem curiosidade em realizar um esporte extremo, mas acredita que, para isso, são necessárias horas de preparação, condicionamento físico ou algum tipo de conhecimento, pular de bungee jump é um ótimo começo para se acostumar com a adrenalina e, quem sabe, se aventurar em outras modalidades. Tudo que você precisa fazer – além de estar com a saúde em dia e os níveis de ansiedade controlados – é pular! Em alguns casos, nem mesmo isso, já que a equipe do Face Adrenalin vai ter dar um empurrãozinho caso você não consiga saltar sozinho. Mas fique tranquilo, pois as mesmas mãos que empurram, são as que te resgatam de lá de baixo, com todo o preparo e segurança necessária para que sua experiência seja uma celebração da vida!

3. Sorria, você está no Garden Route!

Parque de Animais na Garden Route
Foto: Nathalia Marangoni

O Garden Route é uma rota obrigatória para os que viajam para a África do Sul. Há de tudo um pouco por ali: reservas naturais, santuários de animais, cavernas, praias, fazendas e muito mais. Ou seja, depois de realizar uma aventura para a vida toda, você ainda vai poder explorar uma série de lugares deslumbrantes.

4. Adrenalina do começo ao fim

Caminhada pela Bloukrans Bridge — bungee jump na África do Sul
Retirado do YouTube.

Pular da Bloukrans Bridge não será o seu único momento de adrenalina. Antes de chegar a sua hora de saltar, você terá que caminhar por alguns tortuosos metros em uma estrutura vazada, como a da imagem acima, o que não te deixa esquecer onde você está, ao mesmo tempo em que constrói um climax ainda mais intenso para o que vem a seguir. (este vídeo mostra direitinho como é caminhar pela estrutura)

5. A vida é uma festa (mesmo que você esteja prestes a pular de uma ponte)

Na Face Adrenalin, saltar de bungee jump não é motivo de silêncio ou tensão. A equipe da empresa faz questão de criar um ambiente descontraído enquanto dança com você em meio a uma trilha sonora empolgante. As setlists podem incluir excelentes remixes como o da música “Area Codes” do rapper Ludacris, em parceria com Nate Dogg, eterno crooner do G-Funk.

6. Turismo responsável

Equipe da Face Adrenalin — bungee jump na África do Sul
Foto: Facebook da Face Adrenalin

Um aspecto muito positivo em saltar de bungee jump da Bloukrans Bridge é o fato de que proprietários do Face Adrenalin empregam pessoas das comunidades vizinhas, o que impulsiona a economia local e, consequentemente, melhora a qualidade de vida dos moradores da região. Dez por cento da renda gerada pela empresa é doada para o Tsitsikamma Village Trust, iniciativa que visa estimular o turismo de Tsitsikamma.

7. Bungee jump 100% seguro

Um típico salto de bungee jump na África do Sul
Foto: Facebook da Face Adrenalin

Desde 1997, nunca houve um caso mal sucedido de bungee jump na Bloukrans Bridge. Ou seja, desde que a Face Adrenalin iniciou suas operações no local, há 20 anos, ninguém nunca morreu ou se acidentou realizando a atividade. Se o medo de que algo muito ruim pode acontecer é o seu maior empecilho para pular, saber desse dado é um grande conforto.

8. As estrelas também pulam

Kelly Slater antes de saltar de bungee jump na África do Sul
Foto: Facebook da Face Adrenalin

A Bloukrans Bridge já atraiu uma série de celebridades. Figuras poderosas como o príncipe Harry, a família do presidente sul-africano Jacob Zuma, o ator Jack Osbourne e o surfista Kelly Slater estão entre elas. Em seus tempos de MTV, a apresentadora brasileira Fernanda Lima também pulou da ponte quando fez uma edição especial do programa Mochilão na África do Sul. Já pensou encontrar um dos seus maiores ídolos saltando da ponte por acaso?

Bônus: Eu pulei e não gosto de esportes extremos

Bungee jump na África do Sul, Bloukrans Bridge

“Faça o que digo, não o que eu faço” não faz o estilo da Rhino Africa. Se isto te consola, a autora desse post saltou da Bloukrans Bridge – apesar de ser o tipo de pessoa que, quando visita parques de diversões, se esconde em carrosséis e xícaras giratórias para não ter que entrar em uma montanha-russa por pressão dos amigos.

Saltar me fez descobrir que tenho coragem de realizar muitas coisas que eu acreditava não ser capaz de fazer, quebrando algumas crenças limitantes que eu nutria sobre a minha personalidade. Efeitos colaterais? Um leve tremor no olho esquerdo (por uma ou duas horas) e uma experiência inesquecível na bagagem.


Tags


você pode gostar

21 lugares africanos para visitar em 2021

Sobre o autor

Nathalia Marangoni

Nascida e criada na cidade mais populosa da América Latina, São Paulo, Nathalia tinha 13 anos quando ouviu pela primeira sobre Cape Town em um programa de TV. Depois de estudar Jornalismo, ela trabalhou por alguns anos em uma ONG dedicada ao empoderamento e empreendedorismo feminino, o que lhe permitiu viajar por diferentes regiões do Brasil, entrevistando e fotografando mulheres muito fortes. A experiência levou Nathalia a se sentir confiante o suficiente para se mudar de sua cidade natal e, finalmente, ver Cape Town com seus próprios olhos: um desejo antigo que dividiu águas em sua vida.

  • Uolll!
    Acho q até pra mim q sou um medroso deu vontade de saltar,
    Já indiquei para meu Aluno, espero q ele tbm goste de toda a atmosfera descrita pela Nathália com niveis de detalhes incríveis e importantes!
    Aliás parabéns pelo post, cuidadosa em colocar videos e ate a música(muita atenção, não vejo pessoas com tanto cuidado com esses detalhes) não tem como não conhecer a fundo oq ela escreveu, com todos os passos importantes dando atenção inclusive a saúde da pessoa muito bom!
    Impressionante!

  • Melhor relato que li sobre o salto. Foi a única que relatou sobre efeitos colaterais e que eles passam com o tempo. Obrigada pela sinceridade e informação! Já sei que se for e sentir algo posso ficar tranquila. auhauah pois li alguns relatos sobre problemas na retina de quem salta de bungee jump.

    • Pamella, fico feliz que o relato tenha te ajudado. Foi uma experiência transformadora: para algumas pessoas, é algo a ser feito uma vez na vida e nunca mais, enquanto outras conseguem saltar diversas vezes num só dia. Aí depende de cada pessoa 😀

      Um grande abraço, aproveite a sua experiência caso decida pular!

  • {"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
    >