Setembro 6

Para matar a saudade da comida brasileira em Cape Town

Por Nathalia Marangoni em
Setembro 6, 2017

O número de brasileiros que visita – e que normalmente se apaixona pela – África do Sul vem crescendo. Consequentemente, é possível que o interesse deste público em passar ainda mais tempo no país para morar e trabalhar por aqui também esteja aumentando, especialmente em cidades como Cape Town que, além de nos lembrar um pouco do Rio de Janeiro, compartilha algumas semelhanças culturais com o Brasil de modo geral.

Apesar de algumas similaridades, a comida acaba sendo uma das coisas que o brasileiro – assim como qualquer viajante do mundo – sente mais falta quando vai morar fora. O que é normal, afinal, a comida faz parte da nossa identidade e está fortemente incorporada à nossa memória e sensação de conforto e bem-estar. Em Cape Town, o número de brasileiros ainda não é expressivo o suficiente para termos uma grande quantidade de empreendimentos tupiniquins na área de alimentação, como restaurantes e mercadinhos, o que acontece em alguns lugares do mundo, como Dublin, Londres e Nova Iorque.

Há registros de que existiram restaurantes brasileiros em Claremont (Rodizio Café) e em Observatory (Quilombo Brasil), mas atualmente, não existem muitas opções para o público brasileiro matar a saudade de sua culinária e, é claro, de tudo aquilo que ele lembra como comida caseira ou associa com comfort food.

Sabendo disso, criamos uma lista de dicas para você matar a saudade do Brasil, sem se locomover muito e saborear formas criativas de lembrar da comida Made in Brazil:

Arroz e feijão

Feijoada vegana em Cape Town
Essa foto poderia entrar para a página do Facebook “Comidas Feias”. Foi tirada em um dia em que eu decidi fazer feijoada vegana em Cape Town, com cenoura, batata e tofu frito. Apesar de não muito fotogênica, foi aprovada por quem experimentou. Foto: Nathalia Marangoni

Como falar de comida brasileira sem começar pela melhor e mais nutritiva dupla gastronômica, o ying yang da nossa culinária? Em Cape Town é possível encontrar diferentes tipos de feijão in natura nos supermercados. O mais próximo que eu encontrei do famoso feijão carioquinha altamente consumido em São Paulo é o red speckled bean, mas para quem está acostumado a comer feijão preto diariamente, pode facilmente encontrá-lo nos mercados daqui, como Pick n’ Pay e Shoprite. Cada pacote custa, em média, 38 rands. Se você estiver com preguiça de cozinhar, existem opções em lata, mas elas geralmente são misturadas com molho de tomate, o que, na verdade, me faz lembrar de um grande pesadelo e não da comida brasileira…

Tapioca

Tapioca de banana, chocolate e amendoim em Cape Town
Tapioca Kooxs, empreendimento de alimentação saudável situado em Cape Town. Foto: Divulgação/Kooks

Muitos produtos naturais podem ser encontrados na Dischem Pharmacy, entre eles farinha de tapioca e açaí em pó da marca Nature’s Choice (é necessário hidratá-la em casa para chegar à textura ideal para levar à frigideira) e farinha de mandioca da marca Health Riot. Há muito o que explorar por lá e se você é um amante dos famosos superalimentos e um adepto da vida fitness, a Dischem Farmacy será um prato cheio para você. Existem farmácias Dischem em Sea Point, Claremont, Canal Walk, Century City, Table View e Blue Route Mall.

Edit: agora no Old Biscuit Mill, existe uma food stall especializada em tapiocas chamada Kooxs. Vale a pena conferir, os recheios são variados e cada tapioca custa em média R70. Há opções de tapioca com beterraba também.

Açaí

Tigela de açaí com frutas, granola e raspas de amendoa
Tigela de açaí com frutas, granola e raspas de amendoa. Foto: Divulgação/Fresch Bowls

A Fresch Food aposta no conceito de alimentação limpa e na promoção de um estilo de vida ativo. Revigorante, seu menu inclui uma variedade de smoothies, sucos, kombucha, sopas, bagels e… AÇAÍ! Sim, açaí! Acompanhada de banana, blueberry e mel, cada tigela da sensação amazônica custa entre R45 (pequena) e R55 (grande), sendo possível acrescentar granola, frutas, flocos de coco e sementes de chia à sua porção. Você também pode consumir o produto em forma de smoothie – ou vitamina, como costumamos falar em português.

Coxinha

Arancinis de presunto, espinafre e carne vendidos por The Sicilians
Cada arancini custa R20. Sabores variam entre presunto e queijo, espinafre e muçarela, cogumelo funghi e carne. Versões veganas e doces também existem! Foto: Divulgação/The Sicilians

Conheço muitos brasileiros que são muito sensíveis e facilmente irritáveis quando o assunto é coxinha; para muitos, coxinha só é coxinha se for recheada de frango com catupiry e ponto. Nada de jaca-verde refogada, carne, shitake ou qualquer outra invenção. No entanto, se você ficar muito tempo sem comer o salgado, pode entrar em crise de abstinência e acabar abrindo uma exceção para algumas alternativas. Em Cape Town, é possível achar a famosa “coxinha italiana” ou arancini siciliani, que na verdade foi criada muito antes da própria coxinha, no século X. Segundo este incrível post do Buzzfeed, a coxinha surgiu durante a industrialização de São Paulo, um período fortemente influenciado pelos italianos, então não é de se surpreender que ela tenha sido, de alguma forma, inspirada na arancini, que tem o mesmo formato e apresenta diferentes recheios, como espinafre, carne e presunto e queijo. Para experimentar arancinis, vá ao City Bowl Market na Hope Street nas noites de quinta-feira ou ao Old Biscuit Mill nos sábados de manhã e procure pela barraquinha The Sicilians!

Rodizio de pizza

comida brasileira em cape town
Exemplo de pizza que você pode encontrar no Trenchtown / Foto: 9gag

O Trenchtown já foi citado em um de nossos posts (O melhor da vida noturna do bairro de Observatory) e é um dos poucos lugares que encontrei em Cape Town que promovem rodízio de pizza. As pizzas não são nada parecidas com a que estamos acostumados no Brasil – afinal, as pizzas brasileiras diferem bastante de estado para estado e a Pizzaria Bate-papo, no Guarujá, está aí para nos lembrar disso. No entanto, se você tem saudade de sentar em uma mesa com um grupo de amigos para degustar a maior variedade possível de pizzas, vá ao Trenchtown durante a Bottomless Mondays, que acontece às segundas-feiras e custa R100 por pessoa.

Caipirinha

Caipirinhas vendidas pela rede de restaurantes sul-africana Nando's
Um anúncio de caipirinha de baunilha da cadeia de restaurantes sul-africana Nando’s. Foto: Divulgação/Nando’s

Alguns restaurantes em Waterfront vendem caipirinha, mas, particularmente, acho que muitos pecam ao adoçar o drink com xarope de glicose ao invés do bom e velho (e nocivo!) açúcar refinado. Há uma série de restaurantes e bares que tem o drink em seu menu (como o Cape to Cuba, Café Caprice e Café Mojito), mas fazer a sua própria cairipinha também pode ser um bom negócio, caso você encontre cachaça importada em algum Bottle Shop. Por falar nisso, a empresa Distillery 031, em Durban, criou a primeira cachaça sul-africana, chamada Água Zulu Cachaça, então se você der uma passadinha pela cidade, pode ser uma boa ideia descobrir se ela é mesmo parecida com a brasileira (e nos contar!), já que seu processo de fabricação segue a tradição tupiniquim.

Sucos naturais

Sucos de diferentes sabores de Orchard On Long
Sucos naturais. Foto: Divulgação/Orchard On Long

Em Cape Town, é popular o consumo de Fruit Blends industrializados, que são uma mistura de vários néctares de fruta e nem todos os lugares oferecem sucos fresquinhos, como é tão comum encontrar pelo Brasil. O Orchard On Long pode ser um ótimo lugar para experimentar sucos naturais – no estilo “cold pressed” ou pressionados a frio – a partir de frutas orgânicas. Seu processo de produção faz uso da maquinaria da Norwalk, considerada a melhor marca de juicers do mundo devido à sua capacidade de reter até 5x mais vitaminas, minerais e enzimas em comparação à extração centrífuga padrão.

Brigadeiro

Prato de brigadeiros em Cape Town
Foto: Nathalia Marangoni

Brasileiro que é brasileiro sabe fazer brigadeiro, não é verdade? Então não entre em pânico, pois em Cape Town é possível encontrar todos os ingredientes para fazer o docinho em casa. Para os que evitam a cozinha a todo custo, o Pick n’ Pay em Observatory costuma vender uma versão parecida, chamada chocolate fudge ball.

Água de coco

Homem corta coco em barraca no Old Biscuit Mill, Cape Town
Foto: Nathalia Marangoni

Se você é um grande apreciador de água de coco, como a dona deste artigo, fique longe das versões em caixinha ou de latinha, pois elas são extremamente doces e pouco lembram a maravilhosa sensação de beber água de coco brasileira à beira da praia. No entanto, se a saudade deste elixir dos deuses estiver apertando, corra para o Old Biscuit Mill, em Woodstock, onde é possível encontrar o food truck Coconuts for Africa, que vende água de coco natural, com direito a canudinho e tudo. Você também pode pedir para que eles cortem o coco em pedaços.

Pão de queijo

Pandebono é uma iguaria colombiana que se assemelha ao brasileiro pão de queijo
Cada pandebono custa R14 e o Café Colombia CBD só os produz às sextas-feiras. Foto: Nathalia Marangoni

Uma das coisas que mais sinto falta em Cape Town é ter a certeza de que vou encontrar algum lugar vendendo pão de queijo quando estou em um terminal de ônibus ou metrô, a caminho do trabalho. Para os fãs do quitute mineiro, existe o Café Colombia CBD, que, às sextas feiras vende pandebonos, muito parecidos com o pão de queijo de Minas Gerais. Vale a pena provar!

Edit: Nossa leitora, Renata Araujo nos deu uma dica espetacular: ela e seu marido criaram a empresa MOK Brazilian Delights e estão fornecendo pães de queijo para hoteis e coffee shops de Cape Town, entre eles, o Orign Coffee. Também é possível encomendar a iguaria mineira em sua versão congelada, entrando em contato pela página do Facebook da MOK Delights.

Bônus: Praia Morena Restaurant

PF do restaurante Praia Morena com arroz, feijão, batata frita, salada e picanha
Um típico PF (pê-efe) do Praia Morena: arroz, feijão, batata frita, salada e picanha. Foto: Divulgação/Praia Morena

O Praia Morena é o ponto de encontro da comunidade angolana em Cape Town e também um refúgio para os brasileiros que estão com saudade de uma boa pratada de arroz e feijão, mas não têm panela de pressão (ou tempo para cozinhar). O menu do restaurante é variado e inclui caldo verde, sopa de feijão, dobradinha, picanha e até strogonoff de vitela. Além disso, eles também promovem algumas festas dedicadas à comunidade luso-fônica às sextas-feiras, o que é uma excelente oportunidade para exercitar o português, caso o seu esteja um pouco enferujado.

Mate a saudade do Brasil, mas seja ousado!

É normal sentir falta da maravilhosa gastronomia brasileira e, neste artigo, tentamos te ajudar a matar a saudade de alguns itens que nos trazem tantas lembranças. No entanto, você está na África do Sul e há muito o que provar por aqui!

Se você gosta de desafiar a sua percepção sobre boa comida, recomendo os seguintes posts para esquecer um pouco do Brasil, viver no presente e mergulhar no que os restaurantes por aqui tem de melhor a oferecer!


Tags


você pode gostar

Sobre o autor

Nathalia Marangoni

Nascida e criada na cidade mais populosa da América Latina, São Paulo, Nathalia tinha 13 anos quando ouviu pela primeira sobre Cape Town em um programa de TV. Depois de estudar Jornalismo, ela trabalhou por alguns anos em uma ONG dedicada ao empoderamento e empreendedorismo feminino, o que lhe permitiu viajar por diferentes regiões do Brasil, entrevistando e fotografando mulheres muito fortes. A experiência levou Nathalia a se sentir confiante o suficiente para se mudar de sua cidade natal e, finalmente, ver Cape Town com seus próprios olhos: um desejo antigo que dividiu águas em sua vida.

  • Uma vez me surpreendi com uma barraca brasileira no Earth Fair Food Market, mas acho que os caras não estão mais lá. Vendiam uma marmitinha com picanha, feijão preto e uns legumes.
    Já a água de côco do Old Biscuit Mill… Serviu pra matar a sede pelo menos! hahah

    • Hmmm, essa marmita parece tudo de bom, Pedro, pena que não tem mais! No Old Biscuit Mill, tem uma nova barraca de água de coco chamada Coconuts for Africa para matar a saudade também, ainda que não seja exatamente a mesma experiência brasileira. Obrigada por compartilhar!

  • Excelente post Nathalia. Soh pra complementar suas info, agora tem pão de queijo em Cape Town!! Eu e meu marido criamos a MOK Brazilian Delights estamos vendendo o pão de queijo pra Hotéis e em um dos mais tradicionais café de CT – Origin Coffee no Cape Quarter. E claro, não poderíamos deixar de atender os brasileiros que compram a iguaria congelada.

    • Muito obrigada pela dica, Renata, isto é com certeza uma ótima notícia! Vamos atualizar o post com esta informação, assim como fizemos com a Kooxs Healthy Cuisine na parte em que abordamos tapioca 🙂 Um grande abraço!

  • {"email":"Email address invalid","url":"Website address invalid","required":"Required field missing"}
    >